Área Restrita

Egresso de Fisioterapia é aprovado no processo seletivo para o Mestrado da UFAC

21/05/2018
Notícias
Graduação

O Egresso de Fisioterapia, Joab Aguiar do Nascimento, foi aprovado no processo seletivo para o Programa de Pós-graduação em Mestrado em Ciência, Inovação e Tecnologia para Amazônia (PPG-CITA) – UFAC. A seleção contou com prova de conhecimentos específicos, prova de inglês e prova de títulos. A Fameta prepara seus acadêmicos para que sigam trabalhando em prol do desenvolvimento e do bem-estar da população local. Portanto, se orgulha de acadêmicos como o Joab, que não param de buscar especializações, para se aperfeiçoar e contribuir cada vez mais para a sociedade. “O egresso Joab sempre foi um aluno aplicado e participativo. No período de expedição, ele se dedicou e teve uma participação exemplar. Fico orgulhosa por essa conquista e, portanto, gostaria de parabeniza-lo. Com certeza, Joab fará diferença no cenário acreano”, parabenizou a coordenadora de Fisioterapia, Prof. Mireilly Marques.

 
- Por que você escolheu cursar fisioterapia? 

Escolhi a fisioterapia, pois sempre me identifiquei com a área da saúde, sempre achei que tinha jeito para lidar com o outro. E, para trabalhar com pessoas, você precisa primeiramente gostar de pessoas.

 

- Quais são as mudanças que você sentiu, na vida profissional, após concluir um curso de ensino superior?

Muitas portas se abriram, propostas de emprego, inicio de uma vida profissional.

 


- Quais as contribuições que a Fameta deixou para você, durante os 5 anos de curso? 

Só tenho a agradecer cada pessoa que de maneira direta ou indireta fez parte dessa história. Aos professores que me ensinaram grande parte do que sei hoje e ampliaram meus horizontes.

 

- Você já participou de projetos de extensão?

Somente Projeto de extensão a comunidade. Atendimento ao público e tive a oportunidade de conhecer vários lugares e levar conhecimento acerca de vários assuntos: fazendo a identificação dos tipos de pés, palestras sobre anatomia e fisiologia e higiene dos pés, sobre vacinação, alongamento, entre outros. Alguns municípios como Cruzeiro do Sul, Feijó, Rodrigues Alves, Tarauacá, e Mâncio Lima, onde trabalhei pela primeira vez com uma aldeia indígena Puyanawá. Tive outra oportunidade também numa curta visita a Plácido de Castro onde trabalhamos com a aldeia Huni kuin.

 

- Em que te ajudou ser voluntário em projetos de extensão?

Me tornei uma pessoa humana, no sentido de olhar o próximo. Sabendo que o pouco que você fizer, para quem recebe às vezes e tudo que ela precisava. Um sorriso, um abraço e um bom dia faz a diferença. Isso me tornou mais maduro e mostrou o verdadeiro valor da vida.

 

- Quando você colou grau? 

2018.1, em fevereiro.

 

- O curso de mestrado era seu sonho?

Sim. Me preparei muito para a prova. Já tinha feito o curso de inglês alguns anos antes, já imaginando e estudei para a prova especifica cerca de 1 mês e meio apenas. Porém, tinham dias que estudava 12 horas para dar conta de todo o conteúdo.

 

- Qual recado você deixaria para futuros ingressantes e veteranos do curso?

Que aproveitem e invistam o seu tempo. Estudem, aprendam, façam o certo. Escolham o certo. O segredo é amar o que se faz, fazer com amor e ser feliz.

 

Parabéns ao fisioterapeuta!

Veja Também

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem